MP-SP quer investigação contra ex-assessora de Anielle Franco


Órgão atendeu a pedido do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ); Marcelle Decothe chamou torcida do São Paulo de “descendente de europeu safade”

O MP-SP (Ministério Público do Estado de São Paulo) desarquivou uma representação contra a ex-assessora do Ministério de Igualdade Racial, Marcelle Decothé da Silva, por criticar a torcida do São Paulo na final da Copa do Brasil, em 24 de setembro. O órgão atendeu a pedido apresentado pelo senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ). Eis a íntegra (PDF – 301 KB).

O procurador-geral de Justiça de São Paulo, Mário Luiz Sarrubbo, determinou que fosse instaurado um inquérito policial para apurar o caso. Na ocasião, a ex-assessora de Anielle Franco publicou em story no Instagram: Torcida branca, que não canta, descendente de europeu safade… Pior de tudo pauliste”. Ela também chamou a diretoria do Flamengo de “fascista”. Ela foi demitida posteriormente pelo ministério. 

No pedido, Flávio Bolsonaro argumentou que a ex-assessora cometeu crime previsto na lei 7.716/1989:

  • Artigo 1º“Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”

Em sua decisão, Sarrubbo declarou que a “doutrina da superioridade baseada em diferenças raciais, de cor ou origem é cientificamente falsa, moralmente condenável, socialmente injusta e perigosa e não existe nenhuma justificação para a discriminação racial, em teoria ou prática, em nenhum lugar do mundo”

“A discriminação entre pessoas constitui obstáculo às relações amistosas e pacíficas entre as nações e é capaz de perturbar a paz e a segurança entre os povos e a harmonia de pessoas, vivendo lado a lado, até mesmo dentro dos limites territoriais de um mesmo Estado”, afirmou o procurador-geral de Justiça de São Paulo. 

Nesse sentido, Sarrubbo determinou a investigação e outras diligências necessárias para apuração “dos fatos em todas as suas circunstâncias”

O Poder360 entrou em contato com o Ministério da Igualdade Racial para comentar o caso. Até a publicação desta reportagem, não obteve resposta. O espaço segue aberto.

ENTENDA O CASO

Em 24 de setembro, a assessora especial Marcelle Decothé estava com Anielle no Morumbi, estádio do São Paulo Futebol Clube. As duas, que são flamenguistas, viajaram em um avião da FAB (Força Aérea Brasileira) de Brasília para São Paulo para acompanhar o 2º jogo da final da Copa do Brasil e assinar o protocolo de combate ao racismo no esporte.

A assessora fez outros 2 stories com críticas à diretoria do Flamengo e à PF (Polícia Federal):

  • publicou uma imagem sua com a camisa do Flamengo e criticou a “diretoria fascista” do clube rubro-negro;
  • publicou uma imagem em um automóvel e a seguinte mensagem: “Entrando no estádio no carro da PF. Morte horrível”.

 


Leia mais sobre:





Source link

Leave a Comment