Deixaram sozinha uma militância ideológica, diz Bullrich sobre atos


Ministra da Segurança da Argentina acusou organizadores de protesto contra Milei de extorsão para aumentar participação

A ministra da Segurança da Argentina, Patricia Bullrich, fez um balanço nesta 4ª feira (20.dez.2023) sobre o ato convocado contra o presidente Javier Milei. O protesto contou com cerca de 1/5 do público projetado inicialmente. Segundo ela, o governo argentino recebeu mais de 10.000 reclamações de tentativas de extorsão para convencer pessoas a comparecerem.

“Deixaram sozinha uma militância ideológica e quem sempre compareceu, muitas vezes arrastado, não veio”, declarou Bullrich, segundo o Clarín. “Faço uma menção especial aos milhares de argentinos que não se deixaram extorquir”, prosseguiu a ministra, destacando que o governo terá um “canal de resposta muito forte” para investigar as denúncias.

De acordo com Bullrich, a principal forma de pressão exercida por organizadores das manifestações para tentar inflar o comparecimento foi a ameaça de cancelamento de benefícios sociais, como anunciado pelo governo previamente. “Quem ficou em casa poderá manter os benefícios que o Estado lhe dá por estar na pobreza”, afirmou.

Os protestos realizados no centro de Buenos Aires reuniram cerca de 10.000 pessoas, conforme o Clarín, apesar das projeções de até 50.000 participantes.

Assista:

A ministra destacou ainda que os manifestantes que estiveram presentes “não carregavam paus, pedras, nem estavam encapuzados”.

“Milhares de argentinos deram hoje um basta à pressão e à extorsão daqueles que são gestores da pobreza. Acho que as pessoas estão prontas para iniciar uma mudança na Argentina”, declarou Bullrich.

O governo disponibilizou uma linha telefônica para que a população pudesse denunciar as pressões indevidas.

O protocolo anti-manifestações do novo governo argentino abrange quem transporta, organiza e financia os protestos. A identificação dos manifestantes que infringiram a determinação foi feita por câmeras de reconhecimento facial espalhadas pela capital argentina.





Source link

Leave a Comment