Brasileiros estão mais otimistas que há 6 meses, diz PoderData


Mais da metade (52%) dos entrevistados dizem que situação financeira deve melhorar no próximo semestre; taxa oscilou 3 p.p. para cima

Os brasileiros que dizem esperar uma melhora na sua situação financeira pessoal nos próximos 6 meses são 52%, segundo pesquisa PoderData realizada de 16 a 18 de dezembro de 2023. Em relação a junho, na última vez que a pergunta foi feita aos entrevistados, o percentual de otimismo oscilou 3 pontos percentuais para cima.

Outros 14% afirmam ter expectativa de piora nas contas. Outros 29% acham que as finanças se manterão do mesmo jeito no período.

Quando se leva em conta as pesquisas dos últimos anos, a expectativa de melhora subiu 28 pontos percentuais em relação a novembro de 2021 e 18 pontos em relação a setembro de 2020 –em ambos os anos, a economia mundial sofria impactos mais severos da pandemia de covid.

A pesquisa foi realizada pelo PoderData, empresa do grupo Poder360 Jornalismo, com recursos próprios. Os dados foram coletados de 16 a 18 de dezembro de 2023, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 244 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. O intervalo de confiança é de 95%.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, são mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

ESTRATIFICAÇÃO

Em todos os estratos demográficos há expectativa de melhora das finanças pessoais. O Poder360 destaca:

  • declaram esperar melhora da economia pessoal nos próximos 6 meses – as taxas são mais altas entre jovens de 16 a 24 anos (56%), moradores do Sul (58%), pessoas que completaram o ensino médio (55%) e os que recebem até 2 salários mínimos (53%);
  • dizem esperar piora da economia pessoal nos próximos 6 meses – os percentuais numericamente mais altos são encontrados entre os adultos de 25 a 44 anos (16%) e moradores do Centro-Oeste (16%).

CRUZAMENTO: APROVAÇÃO DE LULA

A perspectiva de melhoria da economia pessoal não apresentou relação direta com a aprovação do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), já que tanto a maioria dos eleitores que o aprovam quanto dos que o desaprovam disseram estar otimistas em relação à economia: 51% e 52%, respectivamente.

Os percentuais de eleitores que afirmam que suas finanças pessoais vão continuar igual nos próximos 6 meses são idênticos nos 2 grupos: 29%. Os que declaram esperar uma piora são 13% dentre os que aprovam a gestão petista e 16% dentre os que desaprovam.

PODERDATA

O conteúdo do PoderData pode ser lido nas redes sociais, onde são compartilhados os infográficos e as notícias. Siga os perfis da divisão de pesquisas do Poder360 no Twitter, no Facebook, no Instagram e no LinkedIn.


Leia mais dados desta rodada da pesquisa:


METODOLOGIA

A pesquisa PoderData foi realizada de 16 a 18 de dezembro de 2023. Foram entrevistadas 2.500 pessoas com 16 anos de idade ou mais em 244 municípios nas 27 unidades da Federação. Foi aplicada uma ponderação paramétrica para compensar desproporcionalidades nas variáveis de sexo, idade, grau de instrução, região e renda. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

As entrevistas foram realizadas por telefone (para linhas fixas e de celulares), por meio do sistema URA (Unidade de Resposta Audível), em que o entrevistado ouve perguntas gravadas e responde por meio do teclado do aparelho. O intervalo de confiança do estudo é de 95%.

Para facilitar a leitura, os resultados da pesquisa foram arredondados. Por causa desse processo, é possível que o somatório de algum dos resultados seja diferente de 100. Diferenças entre as frequências totais e os percentuais em tabelas de cruzamento de variáveis podem aparecer por conta de ocorrências de não resposta. Este estudo foi realizado com recursos próprios do PoderData, empresa de pesquisas que faz parte do grupo de mídia Poder360 Jornalismo.





Source link

Leave a Comment